.Relógios do Mundo
Clique aqui para saber as horas em qualquer parte do Mundo

.Para o leitor

Qual o livro que mais o marcou? Partilhe aqui a sua opinião!


What is the book of your life? Share your opinion here!


Deixe os seus comentários e sugestões aos artigos do Blog. É fácil, não necessita de registo e torna este Blog mais interessante com o seu contributo. Para saber mais clique aqui



.Mais sobre mim
. Sobre a Mafalda




.links
.arquivos

. Maio 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Abril 2006

. Outubro 2005

.posts recentes

. Homenagem a Veiga Simão

. Ondjaki vence Prémio Lite...

. Cartas entre Drummond e J...

. "Papa Francisco - Convers...

. José Luís Peixoto o padri...

. José Gomes Ferreira e o s...

. O(s) prefácio (s) de Gasp...

. "Portugal: Dívida Pública...

. Agualusa vence Prémio Man...

. Conheça quais são as livr...

.pesquisar
 
Segunda-feira, 7 de Janeiro de 2008
"Leya" a nova jogada de Paes do Amaral
In Press - release
LEYAESTA NOTÍCIA
LEYA ASA, LEYA CAMINHO, LEYA DOM QUIXOTE, LEYA GAILIVRO, LEYA NDJIRA, LEYA NOVAGAIA, LEYA NZILA, LEYA TEXTO. 
 
'LEYA' é o nome do novo grupo editorial apresentado hoje e que instituirá o maior  Prémio Literário de língua portuguesa
 
Realizou-se, esta tarde, no Centro de Congressos do Estoril, a apresentação do novo grupo editorial formado pelas editoras ASA, CAMINHO, DOM QUIXOTE, GAILIVRO, NDJIRA, NOVAGAIA, NZILA e TEXTO. 
 
LEYA é a nova marca deste Grupo de Editoras que nasce com a ambição de despertar as múltiplas geografias da alma lusófona.
Com apenas 4 letras, a marca LEYA tem a equidistância linguística necessária para ser aceite como um português universal e não como um português luso.
Nesta nova marca “quando o i se espreguiça abre os braços e transforma-se em Y”, simbolizando um Grupo que, “com um i de braços abertos”, se abre à multiplicidade cultural da língua portuguesa.
LEYA representa assim, o supra português (tal como Accenture ou Google são o supra inglês) do mundo das marcas.
LEYA é uma marca com a grandiosidade da alma portuguesa, mas engravidada de um sentido que a consegue transportar do mundo linguístico dos homens para o mundo da linguagem das marcas. 
 
Na mesma ocasião foi igualmente anunciada a instituição, pelo grupo, do Prémio LEYA de Romance (*), no valor de 100.000 euros, o maior prémio literário de língua portuguesa a ser atribuído a uma só obra inédita. O vencedor do Prémio LEYA de Romance 2008 será anunciado na próxima Feira Internacional do Livro de Frankfurt (15-19 de Outubro). Com isto pretende o Grupo LEYA afirmar uma das suas vocações – actuar em todos os grandes centros mundiais como paladino dos escritores e das literaturas de língua portuguesa.  
 
 

publicado por Mafalda Avelar às 17:05
link do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De Anónimo a 8 de Janeiro de 2008 às 23:35
Faço votos para que a Leya tenha sucesso, e que seja portuguesa, sempre, tal como a língua que lhe dá nome. E a proposito de nomes, cara Mafalda não leve a mal mas talvez não tenha sido muito feliz com a lembrança da Accenture, pois lembremo-nos que esse nome foi uma mudança da Anderson Consulting, numa tentativa de limparem o nome e a imagem associados a algumas trapalhadas e ilegalidades em que a então A. Consulting se viu envolvida, ou pelo menos suspeita de encolvimento.
Cumprimentos
De Mafalda Avelar a 23 de Janeiro de 2008 às 11:39
Cara (o) Senhora (o),
Em primeiro lugar obrigada pela sua mensagem. No entanto: desculpe mas não entendi o seu reparo... ao referir que " talvez não tenha sido muito feliz com a lembrança da Accenture, pois lembremo-nos que esse nome foi uma mudança da Anderson Consulting, numa tentativa de limparem o nome e a imagem associados a algumas trapalhadas e ilegalidades em que a então A. Consulting se viu envolvida, ou pelo menos suspeita de encolvimento"
Será que me pode esclarecer?
Muito obrigada
De João Carreira a 9 de Janeiro de 2008 às 18:10
Olá Mafalda,

Fundamentalmente, espero que o novo grupo editorial aumente o gosto pela leitura, que contribua para uma decisão clara do Governo português sobre o acordo ortográfico e contribua para a expansão clara da nossa língua - uma das mais faladas no planeta Terra -, e a melhor 'arma' cultural de um povo ou conjunto de povos.
O modo como estão a ser, por este Governo, tratadas as questões do Museu da Língua ou da entrada em vigor do Acordo Ortográfico nada prestigiam o país ou a nossa cultura, bem pelo contrário.
Quanto às 'polémicas' sobre o Sr.Engenheiro Paes do Amaral, elas não fazem sentido e muitas vezes tratam-se de manifestações descabidas do sentimento de inveja; não fosse 'inveja' a última palavra dos Lusíadas. Quanto às opiniões da Sr.a Dr.a Lídia Jorge e do Doutor Lobo Antunes faço minhas as sempre sábias e espertas palavras de João Pereira Coutinho, que a Mafalda certamente leu na última edição do "Expresso".
Finalmente, pelo exemplo do Sr.Engenheiro Paes do Amaral é bom saber que ainda há portugueses que têm ideias claras, objectivos directos e resultados rápidos; que não lutam para serem comendadores e não têm necessidade de se mostrarem ou cultivarem a subsídio-dependência.
Perdoe a exteeeensão do comentário.
Com elevada estima e consideração,

João Carreira
De Mafalda Avelar a 23 de Janeiro de 2008 às 11:40
Caro João Carreira,
Como sempre os seus comentários são uma mais valia. Muito obrigada!
De Carlos Inez a 14 de Janeiro de 2008 às 23:48

"Leya" esta notícia, mas os comentários a ela não aparecem e não se leyem (o meu anterior ou foi censurado ou vítima da ligação da Netcabo, certamente).
Longa vida à "Leya", portanto, e que façam também muitas reediçoes de obras esgotadas.
Num país que tanta televisão consome é díficil consumir livros em quantidade, mas enfim....
De Mafalda Avelar a 23 de Janeiro de 2008 às 11:52
Boa tarde Carlos Inez,
Não recebi a sua mensagem anterior. Será que me pode re-enviar a mesma por favor.
Concordo consigo quando afirma que "Num país que tanta televisão consome é díficil consumir livros em quantidade, mas enfim...." . Na verdade as series, os "tV programs" e até as novelas estão a dar cabo - não só do tempo de leitura; mas também do chamado "tempo de qualidade familiar". É incrivel o número de familias que jantam a ver Tv; que colocam os miúdos em frente à Tv para não aborrecerem os pais; que enfim... consomem TV em detrimento de outras activadades - tais como ler.
Deixe-me partilhar consigo que este fim de semana coloquei ( ainda que sem querer) um bébé de 4 meses em frente à televisão e o mesmo ficou "vidrado" na televisão. Talvez por isso - não só mais também- valha a pena incentivar mais as editoras nacionais de livros ( que sendo maiores têm com toda a certeza mais meios de atrair mais público); para que o "vício fácil da Tv" tenha pelo menos alguma concorrência... fica a ideia - que, como é lógico - vale o que vale.
De Carlos Inez a 24 de Janeiro de 2008 às 21:39

Cara Mafalda, a minha anterior mensagem foi a que saiu, não sei como, sob "anónimo" lá mais acima do passado dia 8 Jan, sendo que a história que contei da multinacional Accenture, foi tal como disse, uma reconversão e operação de "cleaning" e reconversão de imagem da antiga Anderson Consulting (era parte divisional da Artur Andersen), temendo talvez naquela altura em que saíam muitas notícias sobre os problemas da Enron, um desfecho e uma bola de neve semelhante.

Quanto à televisão plenamente de acordo consigo, de facto já reparei também em muitos bébes e miúdos de amigos meus o tremendo poder sugestivo
da "ama elctrónica" como lhe chamou Karl Popper no seu brilhante livro de análise sobre democracia e televisão.
Cumprimentos e votos de boa continuação deste seu excelente e muito útil Blog.
Carlos Catroga Inez
De Paulo Ferreira a 18 de Janeiro de 2008 às 18:43
Para quando a actualização?
De Mafalda Avelar a 23 de Janeiro de 2008 às 11:42
Tem toda a razão! Obrigada pela sua chamada de atenção. Desculpem -me os leitores mais atentos por estes dias sem posts.
Cumprimentos

Comentar post

. Grandes Reportagens

. Ideias em Estante

. Reportagens
.Livros em destaque
."o livro que me marcou"
Alberto João Jardim

António Pinto Barbosa

António de Almeida Serra

Arquimedes da Silva Santos

Carlos Carvalhas

Carlos Zorrinho

Francisco Murteira Nabo

Graça Almeida Rodriques

João Castello Branco

José Amado da Silva

José Hermano Saraiva

Leonor Beleza

Luís Portela

Manuel Serzedelo de Almeida

Valentim Xavier Pintado

Vasco Vieira de Almeida

Vítor Melícias

António de Sousa

Guilherme D´Oliveira Martins

José Veiga Simão

Pedro de Sampaio Nunes

Martins Lampreia

Agostinho Pereira de Miranda

Mª do Rosário Partidário

Carvalho da Silva

Carlos Tavares

EM BREVE: mais cerca de 50 outros ilustres convidados que ainda não estão transcritos para este blog

.resenhas de livros

- O Livro da Marca

- The Origin of Weath

- A Competitividade e as Novas Fronteiras da Economia

- Choque do Futuro

- Como a Economia Ilumina o Mundo

- Making Globalization Work

- OUTRAS

.autores entrevistados

Rampini, autor do Século Chinês


Stephen Dubner e Steven Levitt, autores de "Freakonomics"


Tim Hardford, autor de "O Economista Disfarçado"


António Neto da Silva, autor de "Globalização, Fundamentalismo Islâmico e Desenvolvimento Sustentável"


Ashutosh Sheshabalaya, autor de "Made in Índia"

.entrevistas (áudio)

Alberto João Jardim

.Novidades Editoriais

Actual Editora


Esfera dos Livros


Porto Editora


Pergaminho


Campo das Letras


blogs SAPO
.subscrever feeds