.Relógios do Mundo
Clique aqui para saber as horas em qualquer parte do Mundo

.Para o leitor

Qual o livro que mais o marcou? Partilhe aqui a sua opinião!


What is the book of your life? Share your opinion here!


Deixe os seus comentários e sugestões aos artigos do Blog. É fácil, não necessita de registo e torna este Blog mais interessante com o seu contributo. Para saber mais clique aqui



.Mais sobre mim
. Sobre a Mafalda




.links
.arquivos

. Maio 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Abril 2006

. Outubro 2005

.posts recentes

. Homenagem a Veiga Simão

. Ondjaki vence Prémio Lite...

. Cartas entre Drummond e J...

. "Papa Francisco - Convers...

. José Luís Peixoto o padri...

. José Gomes Ferreira e o s...

. O(s) prefácio (s) de Gasp...

. "Portugal: Dívida Pública...

. Agualusa vence Prémio Man...

. Conheça quais são as livr...

.pesquisar
 
Segunda-feira, 25 de Março de 2013
O biólogo que faz nascer cogumelos em borras de café

 

Empreendedores na primeira pessoa

1º caso

 

 

(envie as suas sugestões para mafalda.avelar@gmail.com)

 

 

 

 

Um biólogo especializado em microbiologia olha para borras de café e pensa num negócio. Estranho? Talvez, mas foi o que aconteceu a João Cavaleiro, 32 anos, mentor do projecto empresarial Gumelo. Licenciado em Biologia pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, o jovem empreendedor iniciou o percurso profissional como bolseiro de investigação científica. A entrada no mundo empresarial não tardou e depressa passou a coordenar um departamento de controlo e qualidade alimentar num laboratório privado.

O espírito empreendedor, o bichinho do "negócio próprio" que, assume, "existe em mim desde a infância", falou mais alto e um dia, depois de ler um artigo científico sobre ensaios no México sobre o cultivo de cogumelos em resíduos produzidos pela indústria de café, pensou: "É uma grande ideia!". Pesquisou, trabalhou e produziu uma fórmula que permite agora produzir cogumelos a partir de borras de café. Foram dois anos de trabalho intenso, 730 dias que resultaram na criação de um substrato estável para produzir cogumelos.

Da descoberta à procura de apoios para criar uma microempresa foi um pulo. Contando com o Apoiar Micro (programa de incentivo da Região de Santarém), Cavaleiro iniciou o seu projecto de produção. Uma ideia que, tal como todos os produtos, precisa de imagem, marketing, embalagem, gestão comercial e financeira. Tiago Marques e Rui Apolinário entram depois no projecto e ajudam a desenvolver o conceito. E é assim que, há já um ano, a Gumelo é uma marca, nascida em Almeirim, ecológica na forma e conteúdo, inspirada numa leitura científica, realizada por um biólogo que continua a escrever artigos de ciência e que ousou converter ideias e resíduos em números.

A Gumelo, que conta hoje com três sócios, emprega um trabalhador a tempo inteiro e dois em 'part time'. Fundada com um investimento inicial de 20 mil euros (100% capitais próprios), ocupa hoje uma área de 150 metros quadrados, factura 100 mil euros e tem, para já, Espanha, Norte da Europa e América do Sul como mercados a conquistar no curto prazo. Um caso de inovação e sucesso empresarial 'made in Portugal' que tem a ambição de crescer - como cogumelos.

 

 

Gumelo: www.gumelo.com

 

 

Data: 15/03/2013
Publicação: DIÁRIO ECONÓMICO
Autor: MAFALDA DE AVELAR

 

 

Este post também foi publicado no blog: www.livrosemanias.blogs.sapo.pt

 

publicado por Mafalda Avelar às 17:30
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 20 de Março de 2013
Se torturarem os números... eles confessam
Até os números têm limites e é esse alerta que o catedrático Pedro Nogueira Ramos tenta deixar com este novo livro sobre estatísticas e as suas leituras.

"Este livro não é só sobre estatísticas, é sobretudo sobre a interpretação das estatísticas". É assim que Pedro Nogueira Ramos, economista e professor catedrático de Economia da Universidade de Coimbra, apresenta o seu livro 'Torturem os Números que Eles Confessam: Sobre o mau uso e abuso das Estatísticas em Portugal, e não só'. Com o carimbo da Almedina, histórica editora de Coimbra, esta obra agora lançada começa por apresentar a importância da estatística, área em que o autor trabalhou durante mais de uma década e que encara como "um instrumento de progresso social".

Para Nogueira Ramos, o problema que existe actualmente não reside nas estatísticas - que considera muito importantes -, mas sim na interpretação das estatísticas. Denunciado o mau uso dos números e a sua interpretação "às vezes nociva", o professor, que foi o convidado do programa 'Ideias em Estante' (que pode ser visto no ETV), defende que "os números têm várias interpretações, apesar de muitas vezes no debate público não ser essa a leitura". Sendo um académico, que já trabalhou na produção de estatísticas, Nogueira Ramos tem um currículo recheado de experiência à volta dos números e, em especial, da estatística. Trabalhou para o Instituto Nacional de Estatística (INE), foi director das Contas Nacionais e membro da Comissão para a Análise das Contas Públicas (presidida por Vítor Constâncio), função que exerceu quando foi determinado o défice público de 2001. Foi ainda consultor do Eurostat.

Uma prática alargada que, somada às suas funções académicas, o levou a escrever esta obra. "Da conjunção dessas duas experiências surgiu-me a consciência de que as estatísticas não são números incontestáveis", refere o autor em entrevista. E, por isso, acrescenta, "há vários olhares sobre a mesma realidade. Assim como há várias interpretações para os números da estatística". E esse facto tem de ser levado em conta na hora de analisar e divulgar. "A estatística não é, nem pode ser colocada, ao serviço da publicidade, seja de empresas, estados ou ideologias." Sobre esta temática, alega o autor, "há, por exemplo, um número extremamente curioso: o desemprego jovem. Este indicador - que tem variado de trimestre para trimestre - tem sido colocado entre 35 e 40%..." Ou seja, "não é um abuso afirmar que jovens são só aqueles que têm menos de 25 anos'", questiona o autor, colocando de imediato outra questão: "Com que idade se licenciam os jovens portugueses?".

Dando força ao que pretende mostrar, afirma que a taxa de desemprego na faixa dos 25-34 anos "é ligeiramente superior à média do país - rondará 18 ou 19%". Existem muitos outros casos e, no que toca à distribuição de rendimento, há muito a falar. "Aquilo que este livro procura acrescentar à discussão, que já se faz neste momento entre os economistas a nível mundial no que respeita à distribuição de rendimento, é que importa olhar para a desigual distribuição de rendimento entre as famílias. Há outro factor que tem sido esquecido: nem todo o rendimento é distribuído às famílias. E todos os estudos internacionais de distribuição de rendimento, todas as estatísticas internacionais, com coisas que os não-economistas nunca ouviram falar, mas que aos economistas é muito familiar (como o coeficiente de Gini), tudo isso respeita exclusivamente ao rendimento distribuído às famílias".

Há outro factor que, para o autor, induz muita desigualdade na distribuição de rendimento: "É o facto de muito rendimento não ser distribuído às famílias, é mantido na posse de empresas, o que significa que as empresas valem mais, que os seus proprietários são mais ricos, mas não usufruem de rendimento. Conclui o autor que "o rendimento não distribuído às famílias é um elemento fundamental para compreendermos a desigualdade na distribuição do rendimento e não é tido em conta, por regra, nas estatísticas internacionais". É apenas um exemplo de muita dessa 'maquilhagem' dos números, às vezes colocada simplesmente por ignorância, outras com objectivos concretos, e que dá força a uma das frases usadas por Nogueira Ramos, para descrever esta obra: "Este não é um livro contra os números, mas sobre os limites dos números."







Este artigo foi publicado na coluna "Ideias em Estante" dia 15/03/2013 no Diário Económico.



Este post está também publicado no meu blog do Económico: http://livrosemanias.economico.sapo.pt/47880.html

publicado por Mafalda Avelar às 14:59
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 19 de Março de 2013
Parabéns Pai!

Parabéns (meu querido) Pai! :)

 

 

 

 

Neste dia, e para todos os pais, recém-editadas sugestões de leitura. Para todos os gostos... e, interesses:)!

 

 

1) "Vou ser Pai - O guia de gravidez para os Homens que as Mulheres também vão querer ler"( Marcador), de Mário Cordeiro

 

 

Entrevista ao autor, Mário Cordeiro, realizada pela Lusa e disponível no Sapo Crescer, aqui http://crescer.sapo.pt/atualidade/noticias/livro-do-pediatra-mario-cordeiro-mostra-aos-pais-que-os-homens-tambem-ficam-gravidos

 

 

2) " O pai mais horrível do mundo" (A Esfera dos Livros)de João Miguel Tavares

 

 

3) "A Crise, a Família e a Crise em Família", de Mónica Leal da Silva (FFMS)

 

 

 

 

4) "O livro das Horas", de Nélida Piñon (Temas e Debates)

 

Livro das Horas

 

5) "A China e a corrida aos recursos", de Dambisa Moyo ( Bertrand)

 

 

A China e a Corrida aos Recursos

 

 

 

 

 

Este post também foi publicado no blog:www.livrosemanias.blogs.sapo.pt

publicado por Mafalda Avelar às 16:16
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 15 de Março de 2013
Procuram-se empreendedores!

Caros Leitores,

 

Recorro a vós e ao vosso know how!

 

Vou começar a dedicar um espaço - neste meu blog e em www.livrosavoltadomundo.blogs.sapo.pt - aos jovens empreendedores!

 

Muito agradeço, por isso, que me enviem sugestões de casos para mafalda.avelar@gmail.com.

 

 

Hoje foi publicado no DE o primeiro.

O biólogo que faz nascer cogumelos em borras de café

http://economico.sapo.pt/noticias/o-biologo-que-faz-nascer-cogumelos-de-borras-de-cafe_164887.html

 

 

Muito obrigada!

 

Mafalda

mafalda.avelar@gmail.com

 

 

 

 

 

Este post também foi publicado no blog:www.livrosemanias.blogs.sapo.pt

publicado por Mafalda Avelar às 13:31
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 14 de Março de 2013
Papa Francisco. Algumas(suas) frases

Papa Francisco é, para começar, um nome fantástico! Uma escolha de um nome com muita ideologia na sua base. E espiritualidade.

São Francisco de Assis, São Francisco de Xavier, Jesuítas, Argentina, América do Sul. Tudo excelentes ingredientes nesta escolha humana, que pretende estimular a crença divina.

 

Abertura (também à mudança), crença, compreensão, horizonte, força. (Quase) Tudo o que os fiéis procuram nestes momentos, também de crise, para alimentar a sua fé.

 

Por tudo isso: Boa sorte Papa!

 

Leia algumas frases do Papa Francisco, hoje, apresentadas numa edição do brasileiro Globo. com.

 

"Pouco a pouco nos acostumamos a ouvir e a ver, através dos meios de comunicação, a crônica negra da sociedade contemporânea [...] O império do dinheiro, com seus efeitos demoníacos como as drogas, a corrupção, o tráfico de pessoas (incluindo de crianças), junto com a miséria material e moral são frequentes".
Discurso durante o período da Quaresma.

 

"A escravidão não está abolida e, nesta cidade [Buenos Aires], a escravidão está na ordem do dia de diversas formas. Nesta cidade se emprega trabalhadores clandestinos [...] A destruição do trabalho digno, as emigrações dolorosas e a falta de um futuro também se unem a esta sinfonia".
Discurso do Dia da Luta Contra o Tráfico de Pessoas.

 

"A dívida social é uma acumulação de privações e carências em distintas dimensões. É uma violação de direitose aponta diretamente contra a dignidade humana. A dívida social no país [Argentina] é imoral, injusta e ilegítima".
Em discurso à TV aberta, em 2009.

 

"Nós vivemos na parte do mundo mais desigual. A distribuição desigual de bens continua, criando uma situação de pecado social que clama ao céu e limita as possibilidades de uma vida mais plena para muitos de nossos irmãos".
Discurso na reunião de Bispos Latino Americanos, em 2007.

 

"Temos que evitar a doença espiritual de uma igreja auto-referencial. Se a igreja permanece fechada em si mesma, ela fica velha. Entre uma igreja que sofre acidentes na rua e uma igreja que está doente porque é auto-referencial, não tenho dúvidas sobre preferir a primeira [opção]".
Durante conversa recente, pré-conclave.

 

-- mais polémicas:

"Não sejamos ingênuos, não se trata de uma simples luta política. É uma pretensão destrutiva ao plano de Deus. Não se trata de um mero projeto legislativo, é apenas o sinal de uma mentira que pretende confundir e enganar aos filhos de Deus".
Carta de repúdio a projeto de casamento gay enviada aos monastérios de Buenos Aires.

"O aborto nunca é uma solução. Ao falar de uma mãe grávida, falamos de duas vidas, e ambas devem ser preservadas e respeitadas, pois a vida é de um valor absoluto".
Documento entregue a Conferência Episcopal Argentina.






Este post também foi publicado no blog:www.livrosemanias.blogs.sapo.pt

publicado por Mafalda Avelar às 10:58
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 11 de Março de 2013
O prefácio (do momento)
Prefácio do Presidente da República no livro de intervenções “Roteiros VII”
in Página oficial da Presidência da República
9 de março de 2013

"UM PRESIDENTE EM TEMPOS DE CRISE"

Uma crise anunciada

Nos últimos dois anos, as palavras “crise”, “troika” e “austeridade” entraram no vocabulário quotidiano dos Portugueses, surgindo com frequência crescente na linguagem da comunicação social, dos agentes políticos e sociais e, bem assim, dos comentadores e analistas da realidade nacional.

No início de 2011, o País chegou a uma situação de emergência económica e financeira. Era flagrante a total impossibilidade de assegurar o normal financiamento do Estado e da economia. O Governo viu-se obrigado, em abril desse ano, a formalizar um pedido de assistência financeira à Comissão Europeia e ao Fundo Monetário Internacional, entidades que instituíram a chamada “troika”, uma missão tripartida integrada por técnicos da Comissão Europeia, do Fundo Monetário Internacional e do Banco Central Europeu, com vista a analisar, acompanhar e avaliar a situação económica e financeira de Portugal.

Nos termos do acordo celebrado com a Comissão Europeia e o Fundo Monetário Internacional, Portugal recebia, a título de empréstimo, 78 mil milhões de euros, ao longo de 3 anos, e comprometia-se a executar um vasto e exigente programa de ajustamento visando reduzir o défice das contas públicas, melhorar a competitividade da economia e reforçar a estabilidade do sistema financeiro. Do programa faziam parte medidas que impunham pesados sacrifícios às famílias portuguesas, como a redução dos salários da função pública e das pensões, aumentos de impostos e de preços de serviços públicos e uma diminuição das prestações e apoios sociais."

 

Leia aqui o prefácio na íntegra. 






Este post também foi publicado no blog:www.livrosemanias.blogs.sapo.pt

publicado por Mafalda Avelar às 19:56
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 8 de Março de 2013
César das Neves lidera Top Económico

 

 

TOP 10 Económico

dos livros de economia e gestão mais vendidos

de 25 de fevereiro a 3 de março de 2013

 

1

As 10 Questões da Recuperação

João César das Neves/ D. Quixote

 

Entrevista ao autor disponível aqui

2

Basta!

Camilo Lourenço/Matéria- Prima

 

Entrevista ao autor disponível aqui

 

 

3

A Atitude faz a Diferença

John Maxwell/SmartBook

 

4

Nós Podemos!

Jacques Généreux/Clube de Autor

 

5

SNC - Sistema de Normalização

Ana Maria Rodrigues/Almedina

 

6

O credor toca sempre duas vezes

Nuno Vieira da Silva/Esfera dos Livros

 

Entrevista ao autor aqui

 

7

Dale Canergie - Comunicar com Sucesso

Canergie Associates/PrimeBooks

 

8

Quem Mexeu no Meu Queijo

SpencerJohnson/Pergaminho

 

9

Steve Jobs

Walter Isaacson/Objectiva

 

 

10

It´s not how Good You Are

Paul Arden/Phaidon

 

 

 

 

 

Este post também foi publicado no blog:www.livrosemanias.blogs.sapo.pt

publicado por Mafalda Avelar às 17:00
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 6 de Março de 2013
Festivais de música em Portugal. Que Futuro?

"Qual será o futuro dos Festivais de Música em Portugal?" é uma das questões que faz parte da segunda edição do Talkfest´2013 - Fórum Sobre o Futuro dos Festivais de Música em Portugal.

 

Ricardo Bramão, um dos mentores deste projecto, apresenta o projecto e fala sobre "o que é ser empreendedor" em Portugal.

 

Veja a entrevista "Ideias em Estante".

 

(Como apontamento: o livro "de economia e gestão" escolhido pelo convidado é: "Manual de Gestão Transcultural de Recursos Humanos"(Editora RH), de Miguel Pina e Cunha, Arménio Rego " 

 

 

publicado por Mafalda Avelar às 16:53
link do post | comentar | favorito
|
"Discursos de Bento XVI" em livro

 

 

 

 

Bento XVI

«Embora me retire continuo unido a vós»

 

DISCURSOS DE BENTO XVI

Desde o anúncio da sua renúncia em 11 de fevereiro, até à sua despedida a 28 de fevereiro de 2013

 

 

 

publicado por Mafalda Avelar às 16:48
link do post | comentar | favorito
|
Festivais de música em Portugal. Que Futuro?

"Qual será o futuro dos Festivais de Música em Portugal?" é uma das questões que faz parte da segunda edição do Talkfest´2013 - Fórum Sobre o Futuro dos Festivais de Música em Portugal.

 

Ricardo Bramão, um dos mentores deste projecto, apresenta o projecto e fala sobre "o que é ser empreendedor" em Portugal.

 

Veja a entrevista "Ideias em Estante".

 

(Como apontamento: o livro "de economia e gestão" escolhido pelo convidado é: "Manual de Gestão Transcultural de Recursos Humanos"(Editora RH), de Miguel Pina e Cunha, Arménio Rego "

 

 

Este post também foi publicado no blog:www.livrosemanias.blogs.sapo.pt

publicado por Mafalda Avelar às 16:03
link do post | comentar | favorito
|
. Grandes Reportagens

. Ideias em Estante

. Reportagens
.Livros em destaque
."o livro que me marcou"
Alberto João Jardim

António Pinto Barbosa

António de Almeida Serra

Arquimedes da Silva Santos

Carlos Carvalhas

Carlos Zorrinho

Francisco Murteira Nabo

Graça Almeida Rodriques

João Castello Branco

José Amado da Silva

José Hermano Saraiva

Leonor Beleza

Luís Portela

Manuel Serzedelo de Almeida

Valentim Xavier Pintado

Vasco Vieira de Almeida

Vítor Melícias

António de Sousa

Guilherme D´Oliveira Martins

José Veiga Simão

Pedro de Sampaio Nunes

Martins Lampreia

Agostinho Pereira de Miranda

Mª do Rosário Partidário

Carvalho da Silva

Carlos Tavares

EM BREVE: mais cerca de 50 outros ilustres convidados que ainda não estão transcritos para este blog

.resenhas de livros

- O Livro da Marca

- The Origin of Weath

- A Competitividade e as Novas Fronteiras da Economia

- Choque do Futuro

- Como a Economia Ilumina o Mundo

- Making Globalization Work

- OUTRAS

.autores entrevistados

Rampini, autor do Século Chinês


Stephen Dubner e Steven Levitt, autores de "Freakonomics"


Tim Hardford, autor de "O Economista Disfarçado"


António Neto da Silva, autor de "Globalização, Fundamentalismo Islâmico e Desenvolvimento Sustentável"


Ashutosh Sheshabalaya, autor de "Made in Índia"

.entrevistas (áudio)

Alberto João Jardim

.Novidades Editoriais

Actual Editora


Esfera dos Livros


Porto Editora


Pergaminho


Campo das Letras


blogs SAPO
.subscrever feeds