.Relógios do Mundo
Clique aqui para saber as horas em qualquer parte do Mundo

.Para o leitor

Qual o livro que mais o marcou? Partilhe aqui a sua opinião!


What is the book of your life? Share your opinion here!


Deixe os seus comentários e sugestões aos artigos do Blog. É fácil, não necessita de registo e torna este Blog mais interessante com o seu contributo. Para saber mais clique aqui



.Mais sobre mim
. Sobre a Mafalda




.links
.arquivos

. Maio 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Abril 2006

. Outubro 2005

.posts recentes

. Homenagem a Veiga Simão

. Ondjaki vence Prémio Lite...

. Cartas entre Drummond e J...

. "Papa Francisco - Convers...

. José Luís Peixoto o padri...

. José Gomes Ferreira e o s...

. O(s) prefácio (s) de Gasp...

. "Portugal: Dívida Pública...

. Agualusa vence Prémio Man...

. Conheça quais são as livr...

.pesquisar
 
Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2007
Em conversa com o autor - António Neto da Silva
"Globalização, Fundamentalismo Islâmico e Desenvolvimento Sustentável" (Booknomics) da autoria de António Neto da Silva é uma obra que apresenta o triplo conflito que definirá, na opinião do autor, o futuro. Questionado sobre a escolha deste trio (que apresenta variáveis que estão na ordem do dia e que são objecto de fortes polémicas) Neto da Silva, empresário e Professor de "Desenvolvimento Sustentável" no Curso de Pós- Graduação em Estudos Europeus da Universidade Católica Portuguesa, responde dizendo que a sua escolha se deve ao facto de entender "que esses são os três vectores que estão em movimento e que vão definir o novo mapa do mundo, uma nova ordem internacional, uma nova forma de escolher a vida ou o fim do planeta." Para este autor todos os outros grandes movimentos não têm, "nem de perto nem de longe", a importância crucial destes três. "E, é precisamente da interacção entre eles e da correlação de forças que vier a definir-se que sairá uma nova ordem mundial" Sobre a vector que a olho nu parece mais polémico – o Fundamentalismo Islâmico – Neto da Silva responde que "eu não acho que o fundamentalismo islâmico vá travar a globalização. Pelo contrário eu acho que é um factor de uma união tácita entre grandes potencias, que de outra forma poderiam ter conflitos devido à carência de fornecimento de recursos naturais e de energia." Confrontado com a possibilidade de estar a apresentar neste livro um novo paradigma, Neto da Silva, que é licenciado em Economia (Faculdade de Economia do Porto) e mestre em Estudos Europeus Contemporâneos (Universidade de Reading, Reino Unido) afirma que nunca leu nada que ligasse tudo à grande componente. "Aquilo que normalmente se fala é de Globalização falando apenas da vertente económica; fala-se do fundamentalismo islâmico e do terrorismo que dai resulta falando apenas de aspectos de natureza de instabilidade e das dificuldades económicas devido ao abastecimento do petróleo. Mas depois ninguém junta. E estas estão interligadas. Por exemplo: o fundamentalismo é resultado da globalização e por sua vez age no sentido de impedir a globalização (estando a conseguir exactamente o contrário). Neto da Silva, Secretário de Estado do Comércio Externo (90/91) tendo sido o chefe negociador do Projecto Ford-Volkswagen (onde conclui com êxito as negociações utilizando o argumento" de que os portugueses conseguem níveis de produção iguais ou superiores à produtividade media europeia") terminou ainda o seu raciocínio falando do elemento que "é fundamental nisto tudo" e que condiciona absolutamente a globalização competitiva referindo-se "à possibilidade de manter a vida na terra se continuarmos a crescer aos ritmos que estamos a crescer". Para este gestor "nós podemos procurar a eficiência e a competitividade a todo o custo. Podemos procurar o crescimento permanente. Mas só se pode crescer num planeta finito até determinado ponto – e, de determinada forma" diz referindo-se à importância de criar incentivos que permitam o desenvolvimento sustentável das economias." O desenvolvimento sustentável implica um conjunto de restrições às empresas. Numa escala mundial, onde a competitividade e a eficiência são os valores absolutos, é evidente que as empresas (os governos ou as autarquias) não tem a possibilidade de aplicar os avanços tecnológicos que lhes permitam poluir menos. E aqui é que está a questão. E, como é que se poderia resolver esta questão? Através de um estimulo fortíssimo ao aparecimento de tecnologias." A evolução tecnologia é o elemento fundamental para compatibilizar crescimento com um planeta saudável. "Se não formos pela via da tecnologia, se mantivermos os conceitos absolutos de competitividade e de eficiência e se não olharmos para mais nada eu tenho a certeza que, infelizmente, no fim deste século deixa de haver vida humana na terra". António Neto da Silva foi Secretário de Estado do Comércio Externo (90/91) tendo sido o chefe negociador do Projecto Ford-Volkswagen (onde conclui com êxito as negociações utilizando o argumento "de que os portugueses conseguem níveis de produção iguais ou superiores à produtividade media europeia") terminou ainda o seu raciocínio falando do elemento que "é fundamental nisto tudo" e que condiciona absolutamente a globalização competitiva referindo-se "à possibilidade de manter a vida na terra se continuarmos a crescer aos ritmos que estamos a crescer". Para este gestor "nós podemos procurar a eficiência e a competitividade a todo o custo. Podemos procurar o crescimento permanente. Mas só se pode crescer num planeta finito até determinado ponto – e, de determinada forma" diz referindo-se à importância de criar incentivos que permitam o desenvolvimento sustentável das economias. "O desenvolvimento sustentável implica um conjunto de restrições às empresas. Numa escala mundial, onde a competitividade e a eficiência são os valores absolutos, é evidente que as empresas (os governos ou as autarquias) não tem a possibilidade de aplicar os avanços tecnológicos que lhes permitam poluir menos. E aqui é que está a questão. E, como é que se poderia resolver esta questão? Através de um estimulo fortíssimo ao aparecimento de tecnologias." A evolução tecnologia é o elemento fundamental para compatibilizar crescimento com um planeta saudável. "Se não formos pela via da tecnologia, se mantivermos os conceitos absolutos de competitividade e de eficiência e se não olharmos para mais nada eu tenho a certeza que, infelizmente, no fim deste século deixa de haver vida humana na terra". Esta obra, com prefácio e apresentação de Ernâni Lopes, será lançada no próximo dia 26 de Fevereiro.

publicado por Mafalda Avelar às 12:28
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Manuel COSTA a 20 de Fevereiro de 2007 às 11:52
Onde é que será lançado o livro?
De Mafalda Avelar a 22 de Fevereiro de 2007 às 10:30
O lançamento será dia 26 de Fevereiro, próxima segunda-feira, pelas 18H30, na Almedina do Atrium Saldanha

Comentar post

. Grandes Reportagens

. Ideias em Estante

. Reportagens
.Livros em destaque
."o livro que me marcou"
Alberto João Jardim

António Pinto Barbosa

António de Almeida Serra

Arquimedes da Silva Santos

Carlos Carvalhas

Carlos Zorrinho

Francisco Murteira Nabo

Graça Almeida Rodriques

João Castello Branco

José Amado da Silva

José Hermano Saraiva

Leonor Beleza

Luís Portela

Manuel Serzedelo de Almeida

Valentim Xavier Pintado

Vasco Vieira de Almeida

Vítor Melícias

António de Sousa

Guilherme D´Oliveira Martins

José Veiga Simão

Pedro de Sampaio Nunes

Martins Lampreia

Agostinho Pereira de Miranda

Mª do Rosário Partidário

Carvalho da Silva

Carlos Tavares

EM BREVE: mais cerca de 50 outros ilustres convidados que ainda não estão transcritos para este blog

.resenhas de livros

- O Livro da Marca

- The Origin of Weath

- A Competitividade e as Novas Fronteiras da Economia

- Choque do Futuro

- Como a Economia Ilumina o Mundo

- Making Globalization Work

- OUTRAS

.autores entrevistados

Rampini, autor do Século Chinês


Stephen Dubner e Steven Levitt, autores de "Freakonomics"


Tim Hardford, autor de "O Economista Disfarçado"


António Neto da Silva, autor de "Globalização, Fundamentalismo Islâmico e Desenvolvimento Sustentável"


Ashutosh Sheshabalaya, autor de "Made in Índia"

.entrevistas (áudio)

Alberto João Jardim

.Novidades Editoriais

Actual Editora


Esfera dos Livros


Porto Editora


Pergaminho


Campo das Letras


blogs SAPO
.subscrever feeds